São Severino

Severin_von_Noricum_(um_1470)Severino viveu em pleno século V, quando o Ocidente era acometido por uma sequência de invasões dos povos bárbaros: godos, visigodos, ostrogodos, vândalos, burgúndios, enfim, de toda uma horda de bárbaros pagãos que pretendiam dominar o mundo.

É nesse contexto de conflitos políticos e sociais que sua obra deve ser vista, porque esse foi justamente o motivo que a tornou ainda mais valorizada.

Durante essas sucessivas guerras, as vítimas da violência achavam abrigo somente junto aos representantes da Igreja onde encontramos Severino como um evangelizador cristão dos mais destacados e atuantes.

Segundo o seu biógrafo e discípulo Eugípio, Santo Severino teria nascido no ano 410, na capital do mundo de então, ou seja na cidade de Roma e pertencia a uma família nobre e rica.

Ele aparentava ser uma romano africano de Cartago e um conterrâneo de São Agostinho de Hippo.

Era um homem de fino trato, que falava o latim com perfeição, profundamente humilde, pobre e caridoso. Também possuía os dons do conselho, da profecia e da cura, os quais garantiu e manteve até o final de sua vida graças às longas penitências e preces que fazia ao Santíssimo Espírito Santo e ao cumprimento estrito dos votos feitos ao seguir a vocação sacerdotal.

Severino deu os seu bens materiais para os pobres e foi viver no deserto de Egito. Ali ele ficou em um grande conflito em viver sozinho em oração ou atender ao chamado de Deus para evangelizar os descrentes.

Severino seguiu o chamado de Deus e foi para a Áustria em uma época que era uma estrada por onde passavam muitos invasores bárbaros.

Em 454, estava nos confins da Nórica e da Pomonia onde, estabelecido às margens do rio Danúbio, na Áustria, além de acolher a população ameaçada usava o local como ponto estratégico para pregar entre os bárbaros pagãos.

Já no ano seguinte estava em Melk e no mesmo ano em Ostembur, onde se fixou numa choupana para se entregar também à penitência.

Esse seu ministério apostólico itinerante frutificou em várias cidades, com a fundação de inúmeros mosteiros. Como possuía o dom da profecia, avisou com antecedência várias comunidades sobre sua futura destruição, acertando as datas com exatidão.

Temos, por exemplo, o caso dos habitantes de Asturis, aos quais profetizou a morte pelas mãos de Átila, o rei dos hunos que habitavam a Hungria. O povo além de não lhe dar ouvidos considerou o fato com ironia e gozação, mas tombou logo depois de Severino ter deixado o local. Sim, a cidade foi destruída e todos os habitantes assassinados.

Dali ele partiu para Comagaris e, sem o menor receio de perder a vida, chegou até Comagene, já dominada pelos dos inimigos. Lá, acolheu e socorreu os aflitos, ganhando o respeito inclusive dos próprios invasores, a começar pelos chefes dos guerreiros.

Sua história registra também incontáveis prodígios e graças operadas na humildade e na pobreza constantes.

Vários milagres são atribuídos a ele. Ele soltava os cativos, ajudava e confortava os oprimidos e os pobres, cuidava dos doentes e fazia todos os esforços para dar instrução ao católicos do Danúbio, no vale de Viena.

Ele fez ainda muitos milagres. Parece que ele afastou, com suas orações, a praga dos gafanhotos que ameaçava acabar com as colheitas e trazer mais fome. Devagar muitos austríacos aceitaram a sua fé.

Monastério Beneditino de São Severino

Monastério Beneditino de São Severino

Mesmo no inverno quando o Danúbio ficava completamente congelado ele insistia em andar descalço e usar uma única túnica. É dito que ele nunca comia até o pôr do sol e permitia a si apenas uma refeição por semana. Por 30 anos este santo e ativo homem cujas origens continuam misteriosas era respeitados por todos.

Severino predisse até a data exata da própria morte, avisando também sobre a futura expulsão de sua Ordem da região do Danúbio.

Morreu no dia 08 de janeiro de 482 pronunciando a última frase do último salmo da Bíblia , (o 150): “Todo ser que tem vida, a deve ao Senhor“. Assim morreu tranqüilamente e em paz.

São Severino construiu várias igrejas e evangelizou grande parte da Áustria e da Bavária (Alemanha), por isso é especialmente venerado nestes países

Seis anos após a sua morte seus restos mortais foram trasladados para Nápoles onde o grande Monastério Beneditino de São Severino foi construído para ser o santuário das suas relíquias.

Ainda hoje a urna mortuária de Santo Severino se encontra na igreja dos beneditinos em Nápoles, na Itália.

Na liturgia da Igreja as vezes ele é mostrado afastando os gafanhotos e as vezes com um ramo de cereal ou trigo que teria salvo e as vezes com uma armadura lembrando que repeliu os bárbaros.

Capela de Nossa Senhora da Luz

Capela de Nossa Senhora da Luz, em Paudalho, Pernambuco

No Brasil existe um Santuário em homenagem a São Severino, nas terras do antigo Engenho Ramos, na cidade de Paudalho, Pernambuco, que seria o maior centro de romaria do Estado.

O Santuário é na Capela de Nossa Senhora da Luz, hoje mais conhecida como igreja de São Severino. Existe uma imagem que teria sido trazida de Roma por um filho da então proprietária do engenho.

Também não se sabe quando começou a romaria, porém, encontram-se relatos de milagres em meados do século XIX, e foi necessária a ampliação da Capela no início do XX, visto o intenso fluxo de peregrinos ao local.

A imagem do Santo, deitado e em tamanho natural, está no altar lateral esquerdo. É para lá que todos se dirigem.

SSeverino1

Santuário em homenagem a São Severino

É tratado simplesmente como São Severino, ou como São Severino do Ramo, ou ainda São Severino dos Ramos em virtude do nome do engenho.

Esta confusão levou a que o grande dia de romaria seja no Domingo de Ramos, e não no dia 08 de janeiro.

Parece que originalmente a roupa da imagem era azul. Esta nova, vermelha, foi confeccionada em substituição a anterior, deteriorada em virtude do assédio de romeiros que espetavam o Santo acreditando que sangraria.

Anúncios
por Leandro Queiroz Postado em Santos