São Leonardo de Noblac

Nascido na França do século V, Leonardo era filho de nobres, mas não quis seguir a carreira militar, preferindo ajudar ao Bispo de Rheims, São Remígio. Leonardo era afilhado do rei francês Clóvis I, que era pagão.

Certo dia, a rainha sugeriu que Leonardo invocasse a ajuda de Deus para repelir a invasão de um exercito contrário, e que estava vencendo a batalha. Ele assim o fez e a batalha modificou misteriosamente e Clóvis foi vitorioso.

São Remígio, usou este milagre para converter o Rei Clóvis e centenas de seguidores ao cristianismo, em 496.

Leonardo valeu-se de qualquer modo da amizade do rei para ter um privilégio, do qual fez amplo uso porque inspirado na caridade, e aproveitava-se dessa amizade para colocar em liberdade a prisioneiros, em sua maioria inocentes.

Leonardo iniciou uma vida de austeridade, e pregação. Seu desejo de conhecer melhor a Deus aumentou e ele entrou para o Monastério em Orleans. Quando lhe ofereceram para ser Bispo, disse preferir a vida solitária no meio de uma floresta – em vida contemplativa e assim o fez. Leonardo decidiu viver como eremita no meio de um denso bosque.

Mas a santidade tem muitos outros recursos. Assim, espalhado o rumor sobre este santo eremita e sobre suas capacidades taumatúrgicas, bastava aos prisioneiros invocar seu nome para que as correntes caíssem de seus pulsos e tornozelos.

Bem no meio da floresta de Pavum, perto de Limoges, onde o eremita havia fixado a sua morada, passou, em vez dos prisioneiros, o casal real com todo o seu séquito de cortesãos para uma partida de caça. Inútil perguntar o que foi fazer aí a rainha no último mês de gravidez. Para lá foi ela, narra o autor da Vita sancti Leonardi, por um desígnio providencial. Com efeito, a nobre soberana, colhida pelas dores do parto, teve a assistência do santo e, graças sobretudo as suas orações, o evento foi verdadeiramente alegre.

O rei mostrou-se reconhecido e prometeu doar-lhe o terreno para que construísse um mosteiro. Que área? Toda aquela que ele conseguisse delimitar percorrendo-a no dorso de um asno, em um só dia, obviamente. Leonardo, já rodeado de muito discípulos, alguns dos quais tinham sido libertados das cadeias por sua intercessão, construiu um primeiro oratório e aí escavou um poço; depois os devotos estabeleceram-se ao lado do mosteiro com suas famílias, dando origem à aldeia que leva seu nome: Saint-Leonard-de-Noblac. E o santuário continua ainda hoje a ser lugar de peregrinações.

O santo é invocado como padroeiro dos prisioneiros, mas também dos fabricantes de cadeias, de cepos, de fechos e afins. É invocado contra os bandidos, os quais, por sua vez, postos sob cadeias, poderiam recorrer a seu generoso patrocínio. Mas o invocam sobretudo as parturientes para ter um parto indolor.

As notícias sobre a vida deste santo, popularíssimo na Europa centro-setentrional, chegaram até nós por meio de uma biografia escrita cinco séculos depois de sua morte, com os inevitáveis embelezamentos legendários.

Anúncios
por Leandro Queiroz Postado em Santos Com a tag

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s